Post sobre gestor de operações e cadeia logística - Busvision

O gerente de operações na cadeia de logística de transportes deve reduzir ao máximo o gasto de tempo e recursos em cada operação de frete da empresa. Isso sem comprometer a integridade da carga ou o cumprimento do prazo estabelecido. Essa missão nem sempre é fácil.

O processo começa com a chegada da carga até a empresa e só termina quando a encomenda é entregue intacta ao destino previsto. Quanto maior for o controle de cada etapa do processo – chegada, preparação da carga, embarque, traslado, descarregamento, etc -, menor será o risco de erro na cadeia logística.

Contudo, como é uma operação longa, às vezes é difícil para o gerente de operações monitorar cada um dos procedimento com atenção. Quer dizer, como controlar o embarque de uma carga se ao mesmo tempo é preciso monitorar um frete em andamento na estrada? Sendo assim, o gerente de operações precisa de ferramentas que o ajudem nesse trabalho.

Pensando nisso, elencamos soluções tecnológicas que você precisa ter na sua empresa para turbinar a cadeia logística da companhia. Confira!

Veja o TI como um setor estratégico

O bom gerente de operações trabalha buscando a segurança de seus funcionários e o transporte eficiente das cargas. Para conseguir atingir esses objetivos, a tecnologia pode ser empregada como ferramenta operacional e logística.

Sistemas de monitoramento e rastreamento, por exemplo, podem ser integrados a fim de diminuir o risco de assaltos. Da mesma forma que o planejamento de frotas pode ser otimizado com mapas digitalizados.

Novos computadores de bordo, combinados aos sistemas de monitoramento embarcado – DVR Veicular, diminuem os índices de roubo. Além disso, eles podem ser utilizados para a localização e recuperação mais ágil de veículos e cargas extraviados.

Com tudo isso, os índices de falhas são significativamente reduzidos e a busca por metas se torna mais simples. Afinal, a tecnologia aumenta a precisão dos dados internos da empresa, de modo que especialistas em logística possam criar e atualizar políticas de melhoria de serviços. Como consequência, as empresas aumentam sua competitividade e seu faturamento.

Invista em DVR Veicular

Em nosso país, o desempenho do transporte rodoviário de cargas é bastante afetado pelas condições de insegurança nas estradas, resultando numa alta incidência de roubos, acidentes e prejuízos para as transportadoras e para os operadores logísticos. Sendo assim, aliar a tecnologia às operações de transportes revela-se uma ótima alternativa para esse impasse.

Controle dos caminhões em tempo real

Na logística, a gestão de rotas é uma atividade essencial para controlar o percurso realizado pelos caminhões. Em algumas transportadoras, em que as rotas não são monitoradas, os motoristas são quem as definem em função de suas preferências, o que culmina em possíveis desvios e irregularidades.

Independentemente de onde o caminhão esteja localizado, imagens precisas e confiáveis serão geradas, ajudando os gestores a tomarem as devidas providências no momento em que for constatada alguma ocorrência.

Além disso, a rota poderá ser bem dimensionada e com poucas paradas, o que pode evitar roubos de mercadorias e do caminhão, impossibilitando possíveis fraudes e assegurando uma entrega com maior rapidez.

Garantia de qualidade e produtividade na cadeia logística

O aumento da complexidade das operações logísticas, bem como a exigência por eficiência e redução de custos ao longo dos canais de distribuição, têm levado as transportadoras a buscarem por soluções que melhorem a qualidade e a pontualidade das entregas.

E para aprimorar o controle de produtividade, a empresa deve adotar um sistema de monitoramento embarcado que acompanhe as performances de entrega e prazos médios de recebimento e auxilie na análise comportamental dos motoristas. Com ele, o gerente passa a ter imagens consolidadas que podem ser visualizadas através de um software de gestão, facilitando a identificação das necessidades de capacitação profissional de sua equipe.

Implemente o rotograma falado: um aliado do gerente de operações

É uma solução composta de hardware e software que usa tecnologia GPS com a finalidade de otimizar o traslado. É um dispositivo eletrônico especializado para empresas transportadoras. O aparelho não indica apenas a rota a ser seguida ou a distância até o ponto de chegada. Ele faz mais que isso.

O projeto consiste em mapear previamente as rotas usadas pelas frotas e identificar pontos específicos de atenção que possam eventualmente causar danos ao frete, como curvas acentuadas, áreas com maior taxa de assaltos e trechos de estrada em péssimas condições. Feita a identificação dos pontos críticos, é possível adicionar inputs de mensagens de voz para que sempre que um veículo da frota se aproxime dessas indicações, o aparelho emita estas mensagens sonoras gravadas avisando ao motorista sobre a situação.

Como essa solução pode melhorar o gerenciamento de operações da sua cadeia logística?

O rotograma tradicional ainda é usado por empresas de transporte de cargas por ser uma ferramenta barata e simples para os colaboradores. Não é sequer preciso investir em treinamentos. Basta montar os percursos mais rápidos com a finalidade de  diminuir o consumo de combustível durante o transporte da carga.

Porém, o rotograma tradicional apresenta uma série de limitações incompatíveis com o atual escopo das cadeias de logística de grandes empresas de carga e transporte, ou mesmo de seus clientes. Sendo assim, o rotograma falado vem cada vez mais sendo considerado como a melhor solução na cadeia de transportes de carga e logística  entre grandes empresas do setor. Destacam-se entre eles os três seguintes setores:

  • Automatização;
  • Otimização do transporte;
  • Praticidade.

Até pouco tempo atrás, não existia uma solução que permitisse a você indicar ao motorista do caminhão os riscos presentes na estrada de maneira precisa. A indicação até poderia ser feita no rotograma em papel, mas não havia garantia de que os colaboradores iriam conferir o mapa a todo o momento, a fim de diminuir os riscos de dano.

O rotograma falado automatiza esse processo, pois não precisa ser acionado pela equipe responsável para fazer os alertas.

Para desempenhar esse papel de forma eficiente, o setor de logística precisa adotar estratégias modernas e inovadoras. Nesse sentido, a tecnologia é empregada como uma ferramenta indispensável para a otimização da cadeia logística, implementando novas tendências e atualizando processos consolidados, tornando-os mais funcionais. 

Como dissemos, uma das ferramentas que você, gerente de operações, pode adotar junto com o rotograma falado é o DVR Veicular.

Confira em nossa calculadora quantos dias de armazenamento um bom sistema DVR pode garantir para sua frota!

CTA para Manual do Gestor de Operações - Roadvision

1 comentário em “Gerente de operações: saiba como turbinar sua cadeia logística”

  1. Pingback: Caminhão roubado? 4 ações preventivas eficientes - Busvision

Comentários encerrados.

Rolar para cima