O transporte rodoviário de cargas perigosas, ou cargas IMO, requer diversos tipos procedimentos, documentais e de segurança, para que seja executado de maneira adequada.

Transporte rodoviário de cargas perigosas é assunto sério e normas devem ser respeitadas para aumentar a segurança durante a viagem.
Reprodução

Exigências na hora de fazer o transporte rodoviário de cargas perigosas

Dessa forma, no artigo de hoje vamos discorrer sobre os principais aspectos e exigências previstos na legislação que rege o transporte rodoviário de cargas perigosas.

Motoristas:

Seja no transporte de containers ou cargas soltas, o condutor do veículo que estará transportando as substâncias perigosas necessita, obrigatoriamente, estar portando kit de segurança, ser capacitados, tendo o curso MOPP, e possuir uma documentação, a qual deverá ser levada durante a viagem, que comprovará que o mesmo está apto a fazer esse tipo de transporte.

Transportadoras:

É necessário obter licenças, que são específicas para cada tipo de carga, de acordo com a região onde será realizado o transporte e o órgão municipal, estadual e/ou federal que controla determinado tipo de substância. Dentre elas, podemos citar:

Polícia Federal:

Autorização de transporte de produtos químicos através da Divisão de Controle e Fiscalização de Produtos Químicos (DCPQ)

 Polícia Civil:

Alvará para transporte e depósito de cargas perigosas.

 Exército:

É necessário obter uma autorização específica do exército para transporte de armas, munições e explosivos.

 IBAMA:

Em casos de transporte de substâncias perigosas para o meio ambiente.

LETPP (Licença Especial de Trânsito de Produtos Perigosos):

Licença específica para transporte de carga perigosa dentro do município de São Paulo. Válida por um ano, deve ser tirada para cada veículo, e não por empresa/transportadora/motorista. Para saber se uma transportadora possui uma LETPP válida, é necessário fazer uma requisição fundamentada encaminhada ao Diretor do Departamento e Operação do Sistema Viário (DSV).

Durante o transporte da carga, tanto de container quanto de carga solta, todo veículo deve ser devidamente identificado com rótulos de risco e painéis de segurança. Os painéis de segurança são retangulares e de cores laranja, contendo o número ONU e o número de risco do produto a ser transportado.

Número ONU:

Trata-se de um número composto por quatro algarismos, que deve ser fixado na parte inferior do painel de segurança, servindo para a identificação de uma determinada substância ou artigo classificado como perigoso.

Número de Risco:

São os números que indicam a categoria e a intensidade do risco, e são formados por dois ou três algarismos. A relevância do risco é registrada da esquerda para a direita. Os algarismos que compõem os números de risco têm o significado de acordo com sua classe de risco.

Exemplo:

 

Classe de Risco: 9

Classe: Substâncias Perigosas Diversas

Nº de Risco: 99

Nº ONU: 3257

Descrição: Líquido a Temperatura Elevada, a 100ºC ou mais (incluindo metais fundidos, sais fundidos, etc.)

Os rótulos de segurança são em formato de losango, onde estão estipulados os símbolos gráficos e sua respectiva cor, que corresponde à classe do produto. Ao todo são 9 classes, algumas delas divididas em subcategorias. Na tabela abaixo é possível identificar todas elas:

 

Classificação Placas de Risco
Classe 1
Explosivos
 1
Classe 2
2.1 Gases Inflamáveis; 
2.2 Gases Não-Inflamáveis; 2.3 Gases Tóxicos
 2.1   2.2   2.3
Classe 3
Líquidos Inflamáveis
 3
Classe 4
4.1 Sólidos Inflamáveis; 4.2 Sujeitas à combustão espontânea; 4.3 Em contato com a água emitem gases inflamáveis
 4.1   4.2   4.3
Classe 5
5.1 Substâncias Oxidantes; 5.2 Peróxidos Orgânicos
                   5.1 Sem Título 1
Classe 6
6.1 Substâncias Tóxicas; 6.2 Substâncias Infectantes
                    6.1  6.2
Classe 7
Material radioativo
 7
Classe 8
Substâncias corrosivas
 8
Classe 9
Substâncias e Artigos Perigosos Diversos
 9

É importante que a sinalização de containers, baús e carretas seja adequada, de forma a garantir a segurança da carga, do motorista e de terceiros durante todo transporte da mesma.

Fonte: Rodoquick

Continue acompanhando nosso blog para saber mais sobre como otimizar a performance da sua empresa de transporte e ter sucesso!

CTA para Manual do Gestor de Operações - Roadvision

7 comentários em “Transporte rodoviário de cargas perigosas: principais aspectos e exigências”

    1. Olá, Júnior. Como vai? Ficamos muito felizes em saber que você gostou do nosso conteúdo. Abçs, Equipe Roadvision/Busvision.

  1. Manoel Ribeiro do Nascimento

    Estas informações foram ótimas, pena que hoje estou vítima da desinformação.
    Há 9 dias passados estava trafegando em via pública por onde passa muitas cargas, de repente estava atrás de um caminhão de produtos químicos, o cheiro era muito forte, tive vontade de provocar na hora. Em uns 10 ou 15 minutos estava em casa com febre, dor de cabeça e por todo corpo.
    Quando fui ao médico a primeira coisa que me perguntou era se eu sabia qual era o produto químico.
    Eu não tinha atentado para esse detalhe; estou com problemas de de saúde e o os médicos pedindo exames pra tentar resolver.

  2. Para transporte de óleo lubrificante preciso de licença mesmo para 500lts, onde posso buscar esta informação.

  3. Na simbologia da Substância Perigosas Diversas, qdo há necessidade de colocar o adesivo do peixinho

Comentários encerrados.

Rolar para cima