Post_TI-para-transportes-um-guia-para-gerentes-de-tecnologia

O mercado para profissionais de TI vem crescendo gradativamente, a partir da incorporação de múltiplas tecnologias em diferentes segmentos.

No setor de transportes, além de liderar soluções para automação de serviços, otimização de processos internos e de logística, a área de tecnologia desempenha papel estratégico na redução de custos operacionais.

Um departamento de tecnologia bem articulado pode programar ações que evitam a evasão de receitas que, às vezes, passa despercebida por outras áreas da empresa.

A seguir, confira um guia completo de como o gerente de tecnologia pode desenvolver ótimas ferramentas de TI para empresas de transportes.

Se for preciso, mude a visão da sua empresa sobre TI

Ainda há gestores que enxergam TI apenas como equipe de reparos de impressora, notebooks ou internet. Piores são os que entendem o TI apenas como um custo, em vez de um investimento.

Não adianta contratar um serviço de TI especializado em transportes e esperar que os resultados venham. É exigida uma sintonia fina entre o setor comercial e de tecnologia para que a parceria dê os resultados estimados.

  • Ora, para que você precisa do serviço de TI?
  • Quais são os objetivos?
  • Quais metas devem ser alcançadas?

Com isso em mãos, é possível dar início aos trabalhos.

A equipe de TI pode criar sistemas eficientes de processamento, que diminuam o trabalho manual e acelerem os processos. Portanto, melhoram o rastreamento da frota de transporte coletivo ou dos itens transportados, enxugam operações burocráticas e garantem mais velocidade aos despachos fiscais.

De forma geral, a tecnologia deve ser usada para apoiar o negócio. Quanto maior o nível da integração dos dados, mais informações a empresa tem à disposição para conquistar e fidelizar clientes.

Há algum tempo atrás, bastava dar informações técnicas sobre o produto para captar o comprador. Hoje em dia, é preciso muito mais para obter a fidelização. Nesse novo panorama do mercado, a área de tecnologia deve trabalhar em conjunto com o comercial, explicando como se dão os processos de funcionamento das ferramentas.

Mais do que a tecnologia em si, o que importa são os resultados que ela gera. O fruto desse investimento é a redução do tempo de trabalho para alcançar uma meta, potencializando as horas produtivas da sua equipe.

Faça TI gerar valor para a companhia

O gestor de tecnologia necessita compreender que TI deve ir além de administração de redes internas, manutenção do banco de dados e conserto de aparelhos. É claro que você tem que fazer isso também. Contudo, o que separa os excelentes profissionais dos medianos é dar algo a mais, a busca incessante por inovar e entregar sempre mais do que o estimado.

Para fazer isso, antes de tudo, o gestor de tecnologia precisa entender a urgência da empresa.

  • Do que ela precisa?
  • Quais são os pontos fracos operacionais?
  • Quais resultados ela quer obter?
  • Quais objetivos podem ser alcançados?
  • Quanto dinheiro em caixa há disponível para o investimento?
  • Em quanto tempo a tecnologia dará retorno operacional e financeiro?

O gerente de tecnologia de transportes precisa pensar e agir como um empreendedor: se enxergar a companhia como um todo e não departamentos isolados, ficará mais fácil saber o que vai impactar positivamente o desempenho do negócio.

Proponha soluções que funcionem na sua empresa

Como saber quais soluções servem à minha empresa? Como dissemos anteriormente, essa resposta só é obtida após uma entrevista básica com a empresa, para entender quais são as fraquezas que podem ser aprimoradas com a tecnologia. Cada transportadora tem seus pontos fracos e fortes, suas necessidades e qualidades.

É improdutivo pensar que a mesma solução funcionará do mesmo jeito em cenários distintos. Às vezes uma funcionalidade é inútil para um empreendimento e é a galinha dos ovos de ouro para outro.

Mas, sim, existem funcionalidades básicas e eficientes que a sua empresa pode implantar:

  • Rastreio de volumes
  • Automação de armazém
  • Sistema de comando de voz
  • GED – Gerenciamento Eletrônico de Documentos
  • Controle de equipe em campo
  • Videoconferência
  • Telemetria
  • ERP integrado
  • Dashboards
  • Sistema de monitoramento embarcado (DVR veicular + Sistema de gestão de imagens)

Cada opção desse leque de aplicações tecnológicas pode servir ou não para a sua empresa. Cabe ao gerente de tecnologia apontar quais as prioridades do empreendimento, quer dizer, o que irá influenciar de imediato no rendimento da equipe.

É verdade que as soluções não são baratas.

Porém, do mesmo modo, se bem usadas, é um investimento de bom retorno a médio e longo prazo, que justifica o ROI, diminui o custo e incrementa a produtividade, gerando mais faturamento.

Prove como TI ajuda a reduzir os custos

O RH costuma ser o departamento mais custoso em transportadoras. Ter um grande corpo profissional acaba aumentando também os gastos com comunicação interna (rádio, celular e e-mail) e manutenção. A questão é que as empresas de transporte estão apenas começando a investir em tecnologia para acelerar processos antes manuais.

Nesse sentido, a tecnologia deve intervir especialmente no aperfeiçoamento dos processos. Simplificar as operações e cortar a burocracia é uma das principais missões do departamento de TI numa empresa.

Não se trata de buscar a tecnologia pela tecnologia apenas, e sim construir mecanismos – indispensáveis – de potencialização de crescimento para a companhia: menos custos, mais produtividade, mais vendas, mais faturamento.

O resultado?

Mais lucro.

Certifique-se de contar com profissionais qualificados no seu time de tecnologia

Por mais que o empresário de transportes invista em tecnologia, os resultados só irão aparecer se houver uma equipe capaz de tirar o máximo possível das soluções.

Você pode ter o melhor sistema informatizado de gestão, bons veículos, uma excelente infraestrutura e dinheiro à sua disposição.

Contudo, não vai ganhar da concorrência se a equipe não for qualificada.

  • Para que investir em câmeras embarcadas se o motorista não está capacitado para colocá-las em pleno funcionamento?
  • Ou se não há ninguém capaz de fazer o monitoramento no centro de operações da empresa?

De nada adianta.

Aí sim, a TI se transforma apenas num custo a mais, num enfeite improdutivo.

Até antes do processo de implantação, a qualificação da equipe de TI da transportadora é imprescindível. Para instalar uma solução eficaz na sua empresa, é preciso que os departamentos analisem a fundo as necessidades do empreendimento.

Diagnósticos imprecisos resultam em soluções que podem até ser úteis, mas que não vão afetar decisivamente os processos e tampouco semear resultados efetivos.

Quer saber mais sobre TI para transportes? Acesse o blog da Busvision e fique por dentro do que está sendo praticado no mercado.

Manual do Gestor de frotas

Rolar para cima