Como transportar cargas perigosas sem agredir o meio ambiente?

A realização do transporte de carga perigosa precisa ser feita por um profissional habilitado. Inclusive, é importante citar que transportar cargas de este tipo é objeto de lei específica e as empresas precisam considerar diversos aspectos sobre o assunto. O ideal é que os trabalhadores logísticos conheçam informações relevantes sobre este assunto.

Como transportar cargas perigosas sem agredir o meio ambiente?

Transporte de cargas perigosas

Como entendemos que efetuar o transporte de esta qualidade de carga pode ocasionar problemas caso não seja realizado com o devido cuidado, apresentaremos a seguir algumas dicas para quem trabalha na logística. Este texto é especialmente importante para as empresas e para as pessoas que lidam com este tipo de carga. Vamos lá?

Transportar cargas perigosas: O que você precisa saber

A efetuação de este tipo de transporte merece cuidado e atenção. Os produtos qualificados como perigosos obtém esta classificação devido à composição química e pelo fato de serem instáveis durante o transporte e manuseio. Caso eles forem expostos ao meio, podem ocasionar desastres ambientais, problemas com a equipe logística e inclusive, podem ser a razão para o desaparecimento de espécies. Isso acontece porque o vazamento ao meio ambiente pode ocasionar o aparecimento de uma área imprópria para habitação.

No Brasil, a classificação de produtos perigosos ocorre considerando nove classes:

  • Classe 1: Produtos explosivos;
  • Classe 2: Produtos gasosos não inflamáveis, tóxicos e inflamáveis;
  • Classe 3: Produtos líquidos inflamáveis;
  • Classe 4: Produtos sólidos inflamáveis;
  • Classe 5: Produtos oxidantes;
  • Classe 6: Substâncias infectantes e substâncias tóxicas;
  • Classe 7: Material de índole radiativa;
  • Classe 8: Materiais corrosivos;
  • Classe 9: Outros tipos de substâncias que podem causar perigo.

Tendo em vista a importância da classificação, é fundamental considerar que os órgãos regulamentadores controlam o respeito à legislação e a realização do transporte com total segurança.

4 dicas para efetuar o transporte de carga perigosa com segurança

Todo caminhoneiro precisa estar atento às normas de segurança e proteção contra acidentes, isso ajuda na adoção rápida de soluções na hora de encarar o perigo. Hábitos rotineiros que reduzam as chances de acidentes e complicações com o transporte de carga perigosa ainda é a melhor alternativa.

Quando os profissionais se dedicam e seguem as regras e cuidados demandados, o transporte de esse tipo de substância pode ser feito sem contratempos. Essa redução dos problemas impacta a produtividade de forma positiva. Além disso, diminui os riscos para a empresa de logística, clientes e trabalhadores. Veja a seguir algumas dicas importantes para efetuar o transporte de carga perigosa com segurança:

1- Cuide da embalagem

Para que o transporte seja feito com qualidade e não ocasione riscos, é indispensável prestar a atenção na embalagem. Um dos aspectos mais importantes da embalagem é que ela deve identificar as características do item, inclusive símbolos e marcações referentes aos riscos.

Outro ponto importante é considerar a cor e o volume das embalagens. Elas devem ser facilmente vistas, assim, elimina-se a probabilidade de manuseio equivocado. O material com o qual foi elaborado a embalagem também é importante, ele precisa ser resistente e duradouro. Assim, o material usado nas embalagens deve ser de acordo com as necessidades da carga transportada.

2- De olho na circulação

A diminuição da exposição de cargas perigosas inclui o transporte mediante rotas com pouca densidade populacional. Ao precisar transportar produtos perigosos, o ideal é optar por trilhar rotas com poucas casas e comércios na região. Também é importante permanecer longe de regiões com proteção ambiental e reservas ecológicas e florestais.

Além de ser uma atitude precavida, estas considerações estão expressas em normas tanto municipais quanto estaduais. Inclusive, as autoridades responsáveis pelas vias regionais podem restringir a rota de caminhões em determinadas rodovias e locais. Outras questões objetivo de legislação específica são o estacionamento e a carga/descarga de substâncias perigosas.

3- É preciso treinamento

Logicamente, há sensíveis diferenças entre realizar o transporte de cargas simples e perigosas. Por este motivo, é indispensável contar não somente com conhecimento teórico acerca das leis como também compreender como isso funciona na prática. Para que o transporte seja feito sem sobressaltos, é importante que a empresa invista no aperfeiçoamento, qualificação, instrução e atualização dos motoristas. Este tipo de treinamento é feito desde a esfera teórica até a prática. O contato prático com o assunto possibilita que o caminhoneiro possa conciliar a atividade da dirigibilidade com procedimentos de segurança e precaução.

4- Estar dentro da lei é fundamental

Não adianta querer transportar esse tipo de carga, é preciso estar habilitado para isso. A movimentação e operação de produtos perigosos é uma atividade que demanda ter idade superior a 21 anos, ter habilitação do tipo “B”, “C”, “D”, “E”.

Também é importante que o interessado não tenha registros de infração grave ou gravíssima assim como reincidência em infrações do tipo médio nos últimos 12 meses.

Em suma, realizar o transporte de cargas perigosas demanda conhecimento e expertise. Se você quer saber mais informações sobre o assunto entre em contato com a Roadvision.

Envie um comentário